terça-feira, 26 de abril de 2011

Dia vinte e cinco

E aí, galerô?
Como foi o feriado? Ah, o meu?
Bem...o meu começou com uma hipoglicemia e terminou com chocolate de menta do avião.
Mas no meio disso eu fiz uma tatuagem nova.
EEEEEEEEEEEEEE \O/
Vcs nem sabiam q eu tinha uma velha, né?!
Mas então, fiz uma nova, é o naipe de copas, e eu já tinha paus no pulso direito, agora copas embaixo do seio esquerdo e mês q vem se não ficar pobre e fudida vou tentar fazer os outros dis q faltam.
Adoro tatuagem, mesmo. Fui numa convenção, chamada expo tattoo for life e foi lá q fiz a minha, se eu fosse rhyca teria saido de lá q nem um moleskini, td rabiscada.
Qnd eu conseguir tirar uma foto dela bonitinha eu posto aqui, ta bem, folks?!

Ontem eu tava no bar esperando uns amigos e comecei a teorizar sobre as cores e os seres humanos, eu adoro cores, e adoro seres, os não humanos tb. E fiquei imaginando q incrivel seria se tds nós fossemos coloridos, tipo cada um escolha a cor q quer ser. Eu seria azul, naturalmente. E imaginei minha amiga q seria rosa e a outra lilás, daí pensei nas roupas, seria locu a gente colorido de roupa colorida, né? Dia cheguei a uma conclusão obvia: com tanta cor no mundo a gente usaria roupa branca, td mundo ia querer usar td só branco, daí fiquei olhando as pessoas passarem e imaginando a cor delas e as roupas brancas, lindo. Ia ser um monte de gente colorida com roupa branca q nem no futuro.
Ai pensei: you're better than any rainbow.
E fiquei feliz.
=D

domingo, 17 de abril de 2011

Mulherão

Pois é, não cntei a vcs q são meus leitores virtuais, q semanas atrás fui ser assaltada em niteroi com umas amigas e pq sou mto grande e forte reagi. Resultado: tomei umas porradas do bandido. Pra quem não sabe, eu tenho 1,50, sou pequena, frágil e abusada, como td cachorro pequeno, meu negócio é latir mto até tomar um chute. Não sei em q momento da minha vida comecei a achar q sou grande. Ou não sei em q momento da minha vida comecei a ser doida. Ou em q momento da minha vida comecei as duas coisas, só sei q tem uns anos q eu tenho essa mania, digamos, potencialmente perigosa, mas nunca tinha apanhado. Desde o ocorrido tenho tido mais medo de andar na cidade, mas ao mesmo tempo tenho tido mais revolta o q me deixa mto preocupada pq com revolta, qpesar deo medo eu faço o q? Reajo novamente...vou ter q lançar o rolê do J.C e oferecer a outra face...

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Sobre banhos e mães

Segunda feira, 21:35h. Batem à porta. Eu, de turbante de toalha, atendo. É minha mãe, ela entra, sobe e senta ao sofá comigo. 10 minutos se passam Mãe: Natasha, vc tomou banho? Eu: Não, mãe, gosto de andar de turbante de toalha pela casa... O.o Vamo lá, galeres, qual é a dificuldade da minha mãe de entender q eu tomo, sim, banho no banheiro, lavo, sim, minha cabeça, e sim, o mais incrível: me seco com toalhas? Freud? Alguém?