quinta-feira, 19 de agosto de 2010

E falo

Quando a boca fala, o coração já está cheio
Pensei em como ficaria isso em espanhol, não sei se ficaria exatamentebonito, mas a palavra 'lleno' me enche de felicidade, sabe, não sei pq, ela me soa bonita e realmente cheia, e nesse caso de coisas positivas. Mas isso é só mais uma divagação sobre a palavra 'lleno', mas o sentido da frase se mantem negativo, no mínimo em cima do muro, mas se tem uma coisa q ela não é positiva, isso de fato, temos de admitir.
Andei falando muito nos ultimos tempos, e escrevendo pouco, cansei. Não há o q ser dito q tenha relevancia suficiente pra me fazer parar de fazer qlq outra coisa, ou q me canse tanto a ponte de me fazer parar, com td, mas cansei, a gente, no final, sempre cansa.
Tenho feito muita coisa ao emsmo tempo e não me entregue a nada.
Precisod e férias, de verdade, dessa vida, dessa gente, desse lugar.
Nada contra meus amigos, queridos, 'essa gente', definitivamente não são vcs, não poderia me referir aos meus caríssimos assim, enfim.
Meu horoscopo diz, nãoq eu acredite nessas coisas, q eu deveria fazer coisas diferentes ou viajar, talvez eu vá mesmo.
Agora sobre horoscopo: é uma coisa estranha né, eu não me incomodo muito com eles, mas qnd eu leio algo positivo eu gosto, me animo e td mais, qnd leio alguma coisa negativa, enfio an cabeça, o q não é dificil, q não é verdade, q não serev pra nada e quem escreveu isso tava sentado no vaso lendo o 'meia hora'. Td passa, até as palavras potencialmente negativas do meu signo.
Hj estou com a impressão de estar fazendo td errado, mas me pergunto : como seria o certo? se nem sei o q é pra fazer, não sie se é o certo ou o errado, não sei bem tb se existe esse negóciod e certo e errado, bom e mau, preto e branco, sabe, acho q td é mesmo bem relativo, mas sobre isso já conversei com meus amigos, as possibilidades de relativização só se dão dentro de um contexto no qual tds saibam do q estão falando q dominem suficientemente o assunto prara poder relativizá-lo, não se pode teturpar com propriedade o q não se conhece bem...
Ando bem calada nos ultimos dias, incomum, tds sabem q eu falo muito, muito mesmo.
Minha cabeça anda cheia, ou vazia, as vezes não sei qualificar, talvez ela esteja cheia mesmo e euq euria q ela esteja vazia, dai utilizo do meu mecanismo auto ilusorio, no qual eu sou muito boa, e finjo q ta td vazio, e bom, procrastino, ludibrio a mim mesma, e talvez isso não seja bom, mas pode ser exatemente o q preciso agora.
Antes me calei, e agora tb, mas no final sempre estou falando, gritando, cantando, berrando e urrando a mesma coisa, repetidas vezes, eu sempre falo.

2 comentários:

  1. Olá é Mari!!
    Fiquei muito feliz que você comentou no meu blog.. isso nos deixa inspirados!!! rs..
    Apareça sempre!!! Seu blog é maravilhoso e vejo que tens vários!!! rs...

    beijo
    :)

    ResponderExcluir
  2. Assinaria ai em baixo desse texto: Ronnie.
    Natasha, acho que esses confrontos se devem pela agilidade de raciocinio. Quando se é muito veloz, muito intenso e muito permissivel, lidamos consequentemente com muitas possibilidades, e, logico, muitas possibilidades geram duvidas, ne? Isso ou aquilo? Acho que a resposta disso tudo é inteligencia. Acredito que esse poder de ver todos os lados se deve a sensibilidade e sinceramente, sensibilidade é uma força absurdamente inteligente. Mas aí, quando o caminho aperta e de largo passamos a ter um corredorzinho, certas coisas se esbarram, se apertam e brigam pra passar pelo espaço estreito.. quem deve ir primeiro, ou em segundo.. ou em terceiro.. o que é ideal para aquele momento? mas como pensar naquele momento apenas se eu tenho um mundo de possibilidades em mente? Acho que o mais sensato é aprender a conviver com essa luta. Ainda que as vezes seja bom, uma hora ou outra sempre doi. E aí a gente sempre fala. Ou se cala, ne? Ri, faz palhaçada ou dá um fora horroroso, afinal somos tantas coisas na mesma hora. Somos tantas possibilidades, tanto de ação quanto de circunstancias. E assim vai, non stop me parece. Fazer o que? Ir no Cicinho tomar umas brahmas ou então sentar num café e tomar unzinho por 1 real e ainda radicalizar na xicara? Sei la.. comer 10 konis, andar 10 km... viajar.. fazer torta com os amigos... almoçar num lugar diferente... viajar...
    A-muaaah!

    ResponderExcluir